STF: entre a justiça e a injustiça

Recentemente publiquei um post traçando um paralelo sobre as eleições e o problema do estado brasileiro. Agora falarei sobre a justiça e o Supremo Tribunal Federal, conhecido como STF. Então, vamos analisar um pouco da estrutura do STF e seus números. Será que este poder se atolou em absurdos privilégios financeiros? Dessa forma, seria o Supremo, mais uma das instituições federais que “mamam nas tetas do Estado”, popularmente falando? Ou seria nas “tetas” da Injustiça?

STF e a crise econômica

Esse é um assunto complicado porque a gente sabe que dos poderes da república, o judiciário é o menos corrupto. Mas nem por isso, devemos ser coniventes com privilégios não republicanos e é sobre isso que vamos falar. Em primeiro lugar é importante contextualizar, a meta orçamentária do Brasil, é de déficit de 159 bilhões de reais. Déficit! A previdência está praticamente quebrada. Consequentemente, existem estados e prefeituras que estão atrasando ou parcelando o pagamento dos servidores do poder executivo. São eles: professores, os policiais, os profissionais da saúde, etc.STF Salario

O judiciário por sua vez consome 75 bilhões de reais por ano dos nossos impostos, só para pagar servidores ativos e inativos. Bom, a remuneração média dos juízes segundo o CNJ é de 47 mil reais por mês, sendo que o teto constitucional é de 33 mil reais. À legalidade dessa diferença, mais de quase 14 mil reais, é bem discutível. Tanto que a receita federal montou uma operação para tributar esses “adornos”. Inclusive um desses enfeites seria o tal do auxílio moradia que consome cerca de 1 bilhão de reais por ano. Só que grande parte desses juízes, já tem imóvel próprio, reside na mesma cidade em que trabalha e nem paga aluguel, muito menos desse valor.

Fora isso o judiciário vive uma realidade muito distante dos demais trabalhadores brasileiros. A princípio, eles contam com: estabilidade total no emprego, injustificáveis dois meses de férias por ano e aposentadoria gorda garantida. Mas é nos tribunais que esses privilégios adquirem proporção de mordomias nababescas. 

Ministros do STF, auxílios e regalias

Como o exemplo vem de cima, vamos começar pelo Supremo Tribunal Federal que só tem 11 ministros mais um orçamento de meio bilhão de reais. São mais de 200 servidores por ministro, e os números impressionam. Logo, para garantir a hospitalidade da casa e a agenda de compromissos há…

Cento e noventa e quatro recepcionistas e 85 secretários. Para um atendimento gourmet, são 24 copeiros e 27 garçons. A segurança e manutenção são asseguradas por 293 vigilantes, 116 serventes de limpeza, sete jardineiros e 6 marceneiros. E a boa comunicação com a sociedade fica por conta dos 19 jornalistas e 5 publicitários. STF Regalias3

Além disso, algumas funções peculiares como, dez carregadores de bens e 29 funcionários responsáveis pela encadernação. Super moderno e digital. Claro, o STF tem à sua disposição, 87 veículos e 58 motoristas particulares a um custo total de mais de 9 milhões de reais por ano. Assim, com a remuneração média de 50 mil reais da justiça federal, os servidores não podem se locomover em seus próprios veículos. Seguindo pela mesma lógica, eles são agraciados com 15 milhões de reais para despesas médicas e odontológicas. Por conseguinte, 12 milhões de reais para alimentação. Além do mais, eles participam de atividades gratuitas de Yoga e massagem laboral, além das oficinas… Supostamente, oficinas de respiração.

Remuneração e regalias para a justiça estadual

Se você ficou chocado com a remuneração do judiciário federal, isso não é nada perto da justiça estadual do Rio de janeiro, por exemplo. São 65 mil reais de remuneração média paga em dia, em um estado que está à beira do colapso fiscal. Inclusive, o tribunal tem restaurante e lanchonete exclusivo para desembargador e servidor. Ainda, o inacreditável é que, além disso, todos os juízes têm direito a auxílio alimentação de 1.800 reais por mês. Em vista disso, você já se imaginou trabalhando em alguma empresa, recebendo como benefício, um vale refeição de 1.800 reais?STF Chuva de dinheiro

Enfim, o Brasil é um país que tem 30 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Com efeito, são 50 milhões de analfabetos ou semi letrados, em um território com mais de 60 mil homicídios por ano acha. Você ainda acha que as mordomias do judiciário tem algum cabimento? Especialmente para quem já ganha em média 47 mil reais por mês? Por tanto, o que você acha sobre toda essa situação? Você é a favor ou contra o fim dessas regalias, e o respeito rigoroso ao teto constitucional?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *