Coração: o caminho e seus significados

Quem pode dizer o que o amor nos reserva? Assim foi comigo, muito prazer, me chamo Gabriel. Recém-formado em Química, agora eu poderia me dedicar ao trabalho de pesquisas que eu sempre imaginava. Então, como se não bastasse, fui convidado para trabalhar em um laboratório. O melhor é que ele ficava na minha cidade, Buenos Aires, no bairro de Almagro. Tudo conspirava ao meu favor, mas no fundo do meu ser, eu pressentia que aquilo me levaria a algo muito maior. Eu queria entender o que meu coração realmente desejava.

Foi a partir dali que eu, com meus 22 anos, ainda estava confuso, pois não sabia de fato se a Química me preencheria. Me lembrava da infância que tive tão alegre e competitiva com meus colegas de escola por causa do futebol. Por incrível que pareça não conseguia enxergar os olhares dóceis de Amanda, que me cercavam, mas não os percebia. De fato meu coração ainda não estava pronto. 

Se essas lembranças voltavam a minha mente, uma voz também parecia ressoar nas coisas simples que eu observava ao meu redor. A natureza e também as pessoas desemparadas nas calçadas ao redor das ruas em que eu caminhava na ida e volta do trabalho. Algo grande parecia estar muito próximo de mim, que transmitia paz e ao mesmo tempo parecia me chamar.

Um coração confuso

Até que depois de três meses no trabalho, Gabriela, uma colega de trabalho me chama para sair. E dali, e por mais seis meses aquela garota que me enxergava com seus belos olhos castanhos claros claramente manifestava seu desejo de se aproximar de mim. Começamos a namorar, mas o tempo dela na cidade estava contado e logo ela iria embora para outro estado. E meu coração não sabia o que fazer. E naquela sexta-feira, que parecia a última, na saída do cinema, ela exclamou:

— Não quero ir sem você! Venha comigo para começarmos uma família.

— Preciso pensar.

— Irei lhe aguardar na estação, sábado às 15 horas.

— Eu quero muito ir, mas preciso fazer algo antes.

Então, naquele sábado que era preenchido com uma leve brisa e um céu azul com pequenas brechas azuis por causa de suas nuvens claras, vi uma igreja no caminho para estação e resolvi entrar. O relógio apontava para 14H : 30min. Fui em direção ao confessionário e resolvi dizer tudo o que acontecia comigo. E o padre me alertou: seja qual for a sua escolha, você pode honrar a Deus, sendo um homem justo e temente ao senhor.

E assim que acabou a conversa, faltavam apenas cinco minutos para o trem de Gabriela partir. Saí do templo correndo desesperado.

Ao chegar a estação, o trem tinha começado a partir, e de uma das janelas vi Gabriela pela última vez! Naquele momento em diante, percebi que meu lugar era servindo a Deus transmitindo a sua palavra como seu servo. Então me tornei padre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *